Equipas protegidas são mais solidárias

“Os clientes não vêm primeiro. Os colaboradores vêm primeiro. Cuide dos seus colaboradores e eles vão cuidar dos seus clientes.” Richard Branson

Há alguma tendência para confundir posição com liderança. Posição não tem relação direta com liderança. Há muitas pessoas que estão nos níveis hierárquicos mais elevados das organizações que não são líderes. Têm autoridade.

Por outro lado, há outras pessoas que não estão em posições de chefia, que não têm autoridade formal, e que, no entanto, acreditam profundamente numa causa, ajudam todas as pessoas a progredir sacrificando muitos vezes os seus interesses pessoais em prol do grupo. Por essa simples razão são alvo de confiança e são seguidas incondicionalmente. Isto é liderança.

Os líderes não são os primeiros responsáveis pelos resultados

Os managers não são os primeiros responsáveis pelos resultados das organizações. Os managers são responsáveis pelas pessoas que são responsáveis pelos resultados.

Por exemplo, num hospital, os administradores hospitalares não são responsáveis pelos doentes. São responsáveis pelo staff, pelos médicos e pelos enfermeiros que, por sua vez, são responsáveis pelos doentes.

Um ambiente seguro é fundamental para as pessoas florescerem

Uma das responsabilidades mais importantes da liderança é proteger as equipas, mantendo as suas pessoas em segurança. Se isso acontecer, todos vão investir o seu tempo e energia a servir os seus clientes (internos e externos). Se as pessoas sentirem que o seu chefe não as está a proteger ou que se está servir da equipa em vez de a servir, serão as próprias a protegerem-se dele.

Para estarem no seu melhor, as pessoas necessitam de se sentir seguras para dizer “cometi um erro”, “não me sinto qualificado para fazer o trabalho que me pediu”, “necessito de formação”, “preciso de ajuda”, “estou com problemas pessoais e isso está afectar o meu trabalho” ou mesmo “estou assustado, não sei se consigo”, sem medo de sofrerem represálias ou de perderem a confiança dos seus gestores.

As pessoas ou cooperam ou competem entre si

Desde o inicio dos tempos que a segurança é central para a evolução da espécie. Viver em tribos aumentava a segurança fomentando o trabalho em equipa. Quando as pessoas não se sentem seguras, há um aumento de cortisol que as coloca em modo de sobrevivência. Este é um modo de competição e não de cooperação. Quando vemos pessoas pouco engajadas, a evitarem novos desafios e a competirem e a apontarem o dedo a colegas de equipa quando as coisas correm mal, estamos perante alguém que não se sente protegido no seu ambiente.

A ausência de segurança promove comportamentos desviantes e de competição

Equipas que não se sentem seguras, são grupos em que as pessoas apenas levam o corpo para o trabalho, que competem entre si, que mentem acerca da sua performance e que escondem os seus erros. Os seres humanos são animais sociais e respondem ao ambiente. E é o líder que o define.

Proteja a sua equipa e coloque os interesses das suas pessoas acima dos seus e terá um grupo de pessoas engajadas, solidárias e a investirem toda a sua energia no progresso em direção ao propósito da organização.

Subscrever a Newsletter