Olhos que não veem, coração que não sente

As pessoas ficam mais motivadas quando têm acesso ao impacto do seu trabalho.

Realizar tarefas não é sinónimo de resultados

Gostaria de jogar bowling com uma cortina a tapar os pinos? Não faz sentido, pois não? No entanto, isto acontece mais vezes do que imaginamos nas organizações. As pessoas executam as suas tarefas – porque são pagas para isso – mas não têm acesso ao impacto positivo da sua atividade, com implicação direta na sua motivação, desenvolvimento e engagement.

O poder de um trabalho com significado

Colaboradores e organizações beneficiam muito quando seu trabalho é percepcionado como significativo. Um trabalho significativo, por definição,  impacta positivamente outras pessoas fora da empresa, trazendo-lhes algo importante,  fazendo-as felizes ou mesmo melhorando a sua qualidade de vida. Um trabalho com estas características aumenta profundamente a motivação intrínseca dos colaboradores.

Estudo da universidade do Michigan

Este princípio foi ilustrado num estudo com colaboradores de um call center da Universidade do Michigan, que tinham como missão contactar os antigos alunos para lhes pedirem donativos. No início do estudo, os colaboradores, conheceram um antigo aluno que conseguiu uma bolsa de estudos através dos fundos angariados pelo call center. De repente, o trabalho dos colaboradores do call center ganhou outro significado, garantindo um enorme aumento na motivação, como ficou demonstrado pelo aumento substancial na receita gerada por colaborador.

Conhecer os utilizadores finais é crítico para a motivação e para o compromisso

Este estudo ilustra perfeitamente porque é tão importante permitir que os colaboradores tenham acesso ao impacto do seu trabalho. Em ambiente corporativo isto significa, frequentemente, conectarem-se com os utilizadores finais dos produtos da empresa.

Por exemplo, a Medtronic, faz uma festa todos os anos e convida seis pacientes, cujas vidas foram transformadas pelos produtos da empresa, para contarem as suas histórias. Desta forma, tanto os engenheiros como os vendedores têm acesso ao verdadeiro impacto do seu trabalho.

E isto aplica-se a toda a gente. O CEO da IBM, em determinada altura, insistiu para que os seus Senior Executives, visitassem pelo menos 5 dos maiores clientes da empresa numa janela de 3 meses, para que, eles também, pudessem ter acesso ao impacto do seu trabalho.

Partilhar histórias sobre clientes também resulta

Se não for possível aos colaboradores conectarem-se com os utilizadores finais, os líderes deverão encorajá-los a partilhar relatos de situações em que sentiram que fizeram a diferença e criaram um impacto positivo. Por exemplo, num conhecido banco de investimento, as equipas iniciam as suas reuniões semanais a partilhar histórias em que ajudaram e fizeram a diferença nos clientes na semana anterior.

Marco Meireles

 

Subscrever a Newsletter