Reconhecimento pessoal e genuíno tem um impacto muito superior aos incentivos financeiros na motivação das pessoas

A tecnologia está a mudar o mundo de diversas formas.

O email e as mensagens instantâneas, por exemplo, aceleram a comunicação à custa de uma experiência muito mais rica e completa como a comunicação cara-a-cara. O mundo está a tornar-se natural e progressivamente menos humano, com custos claros de produtividade e engagement nas organizações e de bem-estar e motivação nas pessoas.

Reconhecimento nas redes sociais

Se for como a maioria das pessoas, clicou há pouco tempo numa publicação em qualquer rede social. Graças à tecnologia, validar e dar e receber reconhecimento, passou a ser um facto da vida quotidiana.

No entanto, os líderes têm que prestar muita atenção à forma como reconhecem um grande trabalho, pois, como está demonstrado pela ciência, tem um profundo impacto na satisfação das pessoas e no sucesso dos negócios.

Um paper de 2011 da Maritz – empresa especialista em benefícios e recompensas -, revelou que colaboradores que são justa, consistente e significativamente reconhecidos no trabalho, têm uma probabilidade onze vezes! superior de investirem a sua carreira em apenas uma empresa.

A verdade sobre os incentivos financeiros

Frequentemente, as empresas fazem atalhos, dando prioridade aos bónus e aos aumentos para reconhecer o sucesso. Como a evidência sugere, isto pode ser contra-produtivo.

O professor e investigador da Duke University, Dan Ariely, numa experiência realizada numa fábrica da Intel em 2016, deu mensagens diferentes a diferentes grupos no início da semana. A um grupo foi prometido um voucher de pizza grátis se ultrapassasse os objetivos do dia. A outro grupo foi oferecido um bónus em dinheiro e a um terceiro grupo foi prometido apenas um elogio (raro) do seu manager.

Resultados da experiência na fábrica da Intel

Naturalmente, no dia do incentivo, todos os grupos aumentaram a produtividade. No entanto, no fim da semana, a produtividade do grupo do incentivo financeiro decresceu para os níveis originais e o grupo do elogio, apesar de ter decrescido ligeiramente a produção, entregou muito melhores resultados.

O reconhecimento honesto, pessoal e genuíno garante um compromisso emocional com quem o fez (o líder), por outro lado, quando apenas é oferecido um incentivo financeiro para reconhecer um grande trabalho, as pessoas naturalmente vão fazer o possível para o ganharem, mas o acréscimo de performance apenas acontece enquanto o bónus estiver em vigor e for novidade.

Como pode melhorar de forma simples a forma como reconhece, garantindo acréscimos sérios na performance das pessoas?
  1. Utilize formas mais pessoais de demonstrar gratidão. Em vez de enviar mensagens ou emails de agradecimento – ou não o fazer de todo, que é o mais frequente – surpreenda as suas pessoas e reconheça-as pessoalmente e em privado demonstrando toda a sua confiança no seu potencial.
  2. Reconheça pequenas conquistas, deixando uma nota de agradecimento (por exemplo um post-it) na secretaria da pessoa em questão, em vez de escrever um email. Num mundo cada vez mais impessoal, este toque pessoal vai fazer maravilhas pelo compromisso, pela motivação e pela produtividade de quem a receber.
Fomente a colaboração com um simples exercício semanal

Junte a sua equipa e peça a cada um dos elementos para escrever algo que considere ter sido um sucesso na semana anterior e algo que tenha considerado uma dificuldade ou insucesso. Depois, peça a cada um deles  para falar um pouco sobre o que escreveu. Dê os parabéns individualmente pelo sucesso e fomente a discussão, em equipa, sobre formas de transformar aquelas dificuldades em resultados.

Ao repetir este exercício regularmente, vai construir uma cultura de abertura, onde todos se sentem confortáveis a discutir tanto os sucessos como os insucessos, fomentando, e de que maneira, a colaboração entre eles.

A tecnologia é inevitável, no entanto os managers que se escondem atrás dela, devem interiorizar que a grande liderança exige presença, atenção, conexão e coragem. Num mundo dominado pela tecnologia, os poucos líderes focados em ter conversas reais e em construir relações – no fundo o que todos desejamos -, estão a ser recompensados com equipas leais, comprometidas e produtivas.

Marco Meireles
mcm@marcomeireles.com

Subscrever a Newsletter